Com o propósito de recuperar um título presente no mercado nacional durante 13 anos, nasceu a editora Light House, que se associou à casa-mãe, a Condé
Vote
Notícias
GQ Portugal regressa às bancas em setembro
16 de junho de 2015


A GQ Portugal anunciou que vai voltar às bancas portuguesas em setembro. O regresso do título assenta “numa estratégia de continuidade com o modelo editorial que sempre a orientou – servir de guia para o homem contemporâneo”, pode ler-se em comunicado.

Com o propósito de recuperar um título presente no mercado nacional durante 13 anos, nasceu a editora Light House, que se associou à casa-mãe, a Condé Nast. O acordo atribui à Light House os direitos de publicação da GQ Portugal durante os próximos cinco anos. 

De acordo com José Santana, que se mantém na direção da revista, a GQ Portugal “criou raízes profundas, não só nos leitores, como nos anunciantes ou no meio cultural”. O profissional acrescenta ainda que o título “se tornou numa janela para o mundo do que se faz em Portugal, seja por ter as suas produções fotográficas nos melhores sites internacionais, seja por ver reproduzidos artigos seus em outras GQ do mundo”.

Além da revista, a GQ promove há dois anos os GQ Men of the Year, um evento que premeia os homens nacionais e internacionais, e também algumas mulheres de exceção, que se destacaram durante o ano.

Criada em 1931, nos Estados Unidos, a GQ lançou-se no mercado como Apparel Arts, uma revista de luxo, de tiragem limitada, dedicada em exclusivo à moda masculina. Inicialmente direcionada para os comerciantes, o sucesso da Apparel Arts levou, em 1933, à criação da Esquire, na forma de um suplemento mais orientado para o grande público.

No verão de 1957, a Apparel Arts incluiu pela primeira vez o nome Gentlemen’s Quarterly na capa. “Esta edição de junho da Apparel Arts, com o subtítulo Gentlemen’s Quarterly, será a homóloga masculina da Vogue Magazine”. O anúncio estava feito. Em 1958, o nome Gentlemen’s Quarterly estabeleceu-se em definitivo, sendo simplificado para GQ em 1967.

Já como revista mensal, a GQ foi comprada em 1980 pela Condé Nast, que colocou Art Cooper como diretor da publicação. Cooper foi o grande responsável por criar os moldes pelos quais a GQ é hoje conhecida, afastando o rótulo de revista exclusivamente dedicada à moda para também dar destaque à arte, jornalismo investigativo ou desporto. Em 1988, a GQ estabeleceu-se pela primeira vez fora dos Estados Unidos, no Reino Unido. Em 2001 chegaria a vez de Portugal.

Catarina Furtado, Cristiano Ronaldo, Sara Sampaio, José Mourinho ou Nélson Évora foram alguns dos homens e mulheres que passaram pela capa da GQ. Em 2013 e 2014, o GQ Men of the Year levou à Cidadela de Cascais centenas de convidados nacionais e internacionais, que assistiram à eleição de Diogo Morgado e Ruben Alves como homens do ano.
Home
MadeBy
Legislação
GateScope
mgate
Simulador
MissGate
WeeklyTv
Perfis
Notícias
Artigos
Eventos
Opinião
Publicações
TvGate
RadioGate
PressGate
OutGate
CineGate
APAP
DigitalGate
ICAP
APCT
APODEMO
Marktest
Obercom
API
APMP
GMCS
Criativos
APAN
APPM
ACEPI
MEDIAFONE