É preciso que nos foquemos no que fazemos bem e menos no que fazemos mal e isso é também responsabilidade da Comunicação Social
Felicidade Ferreira
Vote
Todas as personalidades
Perfis
Felicidade Ferreira
 



Nome: Felicidade Augusta Moura Ferreira
Data de Nascimento: 26 de setembro de 1969
Naturalidade: Portuguesa
Formação: Licenciada em Economia pela Faculdade de Economia do Porto, da Universidade do Porto.
Primeiro emprego: Analista de crédito na Luso Atlântica, do Banco Português do Atlântico
Empresa atual: Primavera BSS
Função que desempenha: Country manager para os mercados de Portugal, Cabo Verde, S. Tomé e Guiné Bissau

Outros cargos e outras experiências:
De janeiro 2010 a dezembro de 2015 – Primavera Portugal, SA
Director Operation Management

De janeiro de 1999 a dezembro de 2009 – Primavera Portugal, SA
Entrei para a Primavera como business developer para a região Norte. Entre 2001 a 2003, fui diretora de Marketing.

De 2004 a 2007, fui small and medium companies business unit director.
De 2007 a 2008, exerci a função de small and medium companies business unit director de Portugal e Espanha. Fui responsável por uma equipa de 12 pessoas, que faziam a comercialização das soluções em toda a Península Ibérica.

Em 2009, passei a head manager – Channel and Partner Program.

De outubro de 1995 a dezembro de 1998 – Infologia, SA (www.sage.pt)
Gestora do projeto de adaptação e comercialização de uma nova linha de produtos da empresa SIEBEL (na altura acionista da empresa).
Em janeiro de 1997, assumi funções de gestora de grandes contas na delegação de Lisboa.

De setembro de 1993 a setembro de 1995 – Luso Atlântica – Grupo BPA
Analista de crédito na empresa de aluguer de longa duração do Banco Português do Atlântico, Luso Atlântica.

De novembro de 1992 e junho de 1993 – Empresa têxtil
Fiz estágio profissional no departamento financeiro de uma empresa têxtil.

Qual é o livro da sua vida?
Meu Pé de Laranja Lima, de José Mauro Vasconcelos.

Qual é o filme da sua vida?
A Vida é Bela (1997), de Roberto Benigni.

Qual é a música ou o grupo musical da sua vida?
U2 e Bryan Adams, e nos últimos anos aprecio muito jazz.

Qual é o seu lema de vida?
Fazer jus ao meu nome.

Qual a pessoa que mais a marcou, ao longo da sua vida?
No campo pessoal, a minha família, que será sempre a minha referência. No meu percurso académico/profissional, o Prof. Daniel Bessa, pela forma descomplicada como falava de temas complicados, pelo entusiasmo que colocava nas aulas e pela capacidade de transformar os temas mais monótonos em assuntos de grande interesse.

Qual é a sua viagem de sonho (realizada ou não)?
Nova Iorque na passagem de ano e Rio de Janeiro no Carnaval, duas viagens que fiz e se tornaram inesquecíveis.

Qual é o seu clube de futebol?
Futebol Clube do Porto.

Tem algum hobby, alguma paixão?
Viajar, estar com os amigos e fazer passeios de bicicleta em família.

Um defeito que não tolera? Uma qualidade que aprecia?
Defeito – desonestidade e arrogância.
Qualidade – simplicidade e atitude positiva.

Em média, quanto tempo diário dedica a:

Ver televisão (sinal aberto e cabo)?
1 hora à noite.

Ouvir rádio?
Todas as viagens entre casa e trabalho (Porto-Braga), que correspondem a cerca de 1h30.

Ler jornais e revistas?
Durante a semana leio pela via digital, cerca de 10 minutos diários, e gosto de ler as edições em papel ao fim de semana, dedico cerca de 2 horas.

Navegar na Internet? 
Frequentemente, muito por motivos profissionais.

Qual o anúncio que mais recorda?
O anúncio do chocolate de leite Fantasias de Natal, com um avô e a neta. Faz parte do meu imaginário.



Que profissão sonhava desempenhar na sua infância ou juventude?
Professora.

Qual foi, até hoje, o momento mais marcante da sua carreira profissional?
Quando fui nomeada, pela primeira vez, para liderar um departamento. Foi o momento em que tive que gerir pessoas pela primeira vez e percebi como essa tarefa pode ser complicada.

Que medida ou medidas implementaria se, por um dia, fosse responsável pela Comunicação Social em Portugal? Impunha uma quota máxima de notícias “negativas” nos noticiários. É preciso que nos foquemos no que fazemos bem e menos no que fazemos mal e isso é também responsabilidade da Comunicação Social. Numa empresa é fundamental que nas equipas exaltemos as coisas bem-feitas para serem geradoras de mais coisas bem-feitas. O mesmo devia acontecer nos media.
 
Home
MadeBy
Legislação
GateScope
mgate
Simulador
MissGate
WeeklyTv
Perfis
Notícias
Artigos
Eventos
Opinião
Publicações
TvGate
RadioGate
PressGate
OutGate
CineGate
APAP
DigitalGate
ICAP
APCT
APODEMO
Marktest
Obercom
API
APMP
GMCS
Criativos
APAN
APPM
ACEPI
MEDIAFONE